História dos Infláveis.

Os Primeiros Edifícios infláveis.Cobertura de Radar Inflável

A primeira tentativa conhecida de aplicar os princípio dos balões a estruturas arquitetônicas se deve ao engenheiro inglês Frederick Willian Lanchester que em sua patente em 1917 de um hospital de campanha, citava os princípios fundamentais da construção inflável suportado por ar.

Descrição do Invento

“O presente invento tem por objetivo erguer uma tenda de grandes dimensões sem o uso de estacas ou suportes de qualquer tipo.”
” Consiste em uma espécie de tenda na qual o tecido usado é o dos balões ou outro material de pouca ou nenhuma permeabilidade, para que o ar inflado em seu interior mantenha erguido pela pressão do ar e sua entrada e saida se dará por meio de 2 portas estanques, para que não haja perda de pressão interior.”
As principais características dessa patente é que o autor tem perfeito controle das necessidades e primícias bases dos edifícios inflados e a segunda característica é de que se refere a um hospital de campanha e que caracteriza os edifícios infláveis de serem mais adequados as grandes extensões como hangares e grandes armazéns.
Inflável protegendo radarLanchester nunca pode ver seus projetos realizados passaram-se 30 anos ate que a primeira estrutura inflável fosse construída. Muitos acreditam que esse intervalo de tempo foi devido a falta de materiais e de técnicas apropriadas para realizar o projeto, mas essa explicação é um tanto ingênua, tendo em vista que Lanchester apoiava seus projetos em tecnologias ja existentes.
O próprio Lanchester tinha uma teoria muito mais plausível:
Quando entrou em contato com as indústrias no começo do século XX a humanidade vivia momentos de euforia e otimismo e desejavam explorar novas idéias. Pouco depois de apresentar sua patente houve o armistício da 1ª Guerra Mundial que foi seguida por uma profunda recessão industrial. As idéias de Lanchester eram tão contraria aos princípios da estática e do peso que imperavam nas construções que dificilmente profissionais da area podiam aceitar que o ar fosse o elemento de suporte, e para sepultar as idéias de Lanchester houve várias catástrofes causadas por balões e dirigíveis, apesar de não ver realizado seus projetos pode com todo o mérito ser considerado o inventor dos edifícios infláveis.

Não foi até 1946, quando Estados Unidos optaram por cobrir uma antena radar com uma estrutura pneumática que oferecia um mínimo de resistência à passagem de ondas de radar e que os protegidos das intempéries. Para o desenvolvimento destas estruturas foi eleito Cornell Aeronautical Laboratory, dirigido por Walter Bird, que é agora um dos principais promotores e construtores de  estruturas do mundo. Após a construção do protótipo, foram construídas cem tais estruturas no Norte Estados Unidos para a mesma finalidade, foram construídos com estas membranas resistentes fibras sintéticas como o nylon ou terylene coberto com uma camada de vinil sintético, neoprene ou hypalon, capaz de resistir a exposição severa para o exterior, a estrutura ainda se situava na posição vertical, com pressão pneumática diferença (em relação à atmosférica) de apenas 70 mm de pressão de água. A cúpula 15 metros de diâmetro foi capaz de manter a sua rigidez antes de ventos de até 240 km / hr.

Anos depois destas experiências geraram um “boom” na área de ar no interior dos Estados Unidos, porque as características das estruturas pneumáticas cobrir grandes áreas com rapidez e economia, além de sua versatilidade e facilidade com que podem ser transporte de múltiplos espaços foram construídos para usos diversos, tais como esportes, exposições, armazéns, fábricas e as atividades militares.

This entry was posted in História dos Infláveis and tagged , , , , , , , , , . Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.